.

.

segunda-feira, 10 de março de 2008

James Randi e seu Desafio Paranormal

Eu sendo o ministrador da “Iniciação o Salto”, e também tendo paginas e canais de vídeos exibindo evidências reais da capacidade psíquica de diversas pessoas pelo mundo todo, evidencias essas comprovadas cientificamente, vira e mexe tenho de lidar com pessoas completamente ignorantes, que jogam o “Desafio Paranormal de James Randi” na minha cara, dizendo que essa besteira é “prova” de que tudo que defendo é falso... comédia né?


James Randi, Ciência de brincadeirinha, não é de verdade...


É para essas pessoas iludidas que este artigo foi construído, pois não importa quantas vezes a gente responda sobre essa questão, sempre vai aparecer mais um religioso cristão ou um Materialista/Ateu preguiçoso, debochado e quase analfabeto para repetir sempre a mesma ladinha já refutada milhares e milhares de vezes...


Vou então reunir aqui nessa singela pagina de meu site, os meus argumentos que provam que na verdade o famoso “Desafio Paranormal de James Randi” não passa de puro sofisma. Assim cada vez que um pobre iludido tocar no assunto, vou indicar a ele/ela essa pagina, e pronto, problema resolvido.


Sabe o que quer dizer Sofisma? [Clique Aqui].


- “A verdade é inalcançável, todavia devemos nos aproximar dela por tentativas”. [Karl Popper, filósofo da ciência, sistematizador do método cientifico]


Quem é James Randi?

Já que ele gosta de dar "dor de cabeça" aos paranormais, vamos fazer ELE ter uma agora...


James Randi não passa de um mágico fracassado, que nunca se destacou na sua frívola carreira, ele como todos os mágicos comuns [existe alguns que são paranormais, misturam truques baratos e bem conhecidos, com poder psíquico real, por isso se destacam dos outros, David Blaine pode ser considerado um desses, sobre ele: Clique Aqui].


Animava festas infantis, ou fazia shows em circos itinerantes.


A vida dele mudou, quando, uma vez aposentado, resolveu “ajudar” os pseudocéticos da CSICOP a defenderem seus dogmas Materialistas/Ateus. [sobre PseudoCéticos, Clique Aqui].


A CSICOP é uma organização de idolatras do Materialismo/Ateísmo que a fundaram para defender os dogmas de sua religião contra a ciência e o método cientifico.


Eles defendem os axiomas de sua religião naturalista/reducionista, não a ciência honesta.


[Obs. Outra organização de nome parecido foi criada nos EUA para combater a CSICOP, chamasse SCEPCOP, acesse o site deles: Clique Aqui]


Continuando:


Ai sim ele se destacou na vida, ganhou fama, gloria e passou a aparecer em diversos programas de TV, Radio e a dar entrevistas.


Foi então, depois de resolver ser um Ateu militante, defensor dos dogmas dessa nova religião, que James Randi conheceu o gosto da fama que tinha procurado a vida toda em vão, eis ai a razão principal para ser tão “linha dura”, teimoso e desonesto.


No dia que ele entregar o Premio de 1 Milhão, a fama dele acaba, sua missão estará cumprida, e os holofotes sobre ele vão se apagar...


Entenderam né? James Randi não está preocupado com ciência, nem com a verdade, nem se compromete com a honestidade, Randi quer apenas uma coisa: ((FAMA)), custe o que custar.


Ele é um artista fracassado e frustrado que “por acidente” encontrou um caminho para a fama e reconhecimento. No dia que ele entregar o premio, a festa acaba...


Acham que ele quer largar esse osso? Nunca!


eu sempre tenho uma saída” [James Randi dizendo que sempre encontra uma saída para não entregar o premio de 1 Milhão, Dennis Rawlins, ex-membro da CSICOP, Revista FATE, edição de outubro de 1981, p. 89].


Ele vai continuar dando as mais esfarrapadas desculpas para não testar pessoas realmente paranormais, ele vai fugir dos verdadeiros paranormais o quanto puder, pois quer apenas viver sua ilusão efêmera de ser uma personalidade “reconhecida”, “respeitada”.


Agora que se declarou Gay, dá para entender melhor sua psicose, como ele mesmo diz:


- “Eu sou Gay... Durante os primeiros 20 anos da minha vida, eu tinha que viver nas sombras, em uma cultura que foi - pelo menos exteriormente - totalmente hostil a qualquer sugestão de variação do estilo de vida normal”. [James Randi em seu site dia 21 Março de 2010 ás 12:37, Clique Aqui, Vídeo onde confirma e reforça sua declaração Clique Aqui ]


Para quem temia ser ‘descoberto’ pela sociedade, engraxado e desprezado, ao se ver numa situação onde desempenharia um papel “digno”, “reconhecido”, “útil a sociedade”, foi o mesmo que ganhar na Mega Sena acumulada.


O pobre Gay enrustido, temeroso do asco da sociedade, mágico fracassado, uma criatura humana infeliz e frustrada viu na defesa dos dogmas materialistas/ateus a grande oportunidade de se destacar, de ser aplaudido, e exaltado pela mesma sociedade a qual ele tanto temia.


Todo esse medo, e frustração também explica por que ele era tão debochado, impiedoso com as pessoas que alegavam ter poderes, mas que eram refutadas.


Por ele [Randi] sofrer de baixa estima, a oportunidade de humilhar, esculachar e pisar nas outras pessoas era como um balsamo, aliviava seu ego ferido, dava uma oportunidade para dizer a si mesmo: - “não sou tão desprezível assim afinal... veja essas pessoas!” -


Imagine! Ele é que tava fazendo deboche, rindo, humilhando, e não sendo a vitima... foi como um sonho que se realizara.


Então, assim como é o caso de seus colegas de pseudocetismo, Carl Sagan, Richard Dawkins, todo o trabalho de Randi é produto de uma mente perturbada, de um ego ferido, de sonhos quebrados pelas duras condições que a vida nesse planeta impõe.


Foi então a necessidade de ter uma válvula de escape que descarregasse toda a frustração e medo, que criou o ‘James Randi’ que agora todo mundo conhece, o três vezes ‘P’: Patife, Pilantra , e Pseudocético.


- “Só duas coisas são infinitas: o Universo e a estupidez humana. Mas eu não estou totalmente seguro quanto ao Universo...” [Albert Einstein]


- “Eu consigo calcular o movimento dos corpos celestiais, mas não a loucura das pessoas”. (Isaac Newton)


Sofisma, a Arte de Enganar


James Randi se vale de uma técnica já há muito conhecida, e combatida dentro do sistema filosófico, se trata do sofisma.


O Sofisma é simplesmente o discurso enganoso, uma mistura de meias verdades e meias mentiras que uma vez bem entrelaçadas pode ser apresentada ao grande publico [naturalmente leigos em filosofia] como verdades estabelecidas.


É a já muito velha técnica de discurso retórico usado pelos políticos e advogados para enganar, fraudar, iludir o restante da sociedade.


Mais sobre Sofisma e Erística, [Clique Aqui].


Um exemplo simples que pode ser usado para ilustrar isso, é o caso Thomaz Green Morton.


Thomaz é um brasileiro, possuidor de poderes psíquicos autênticos, porém muito acomodado, brincalhão e sem responsabilidade. Talvez por possuir as capacidades desde a infância, os adultos a sua volta ficaram com medo, todas as pessoas o temia, por isso não o educaram como devia.


Assim cresceu mimado. Tem corpo de adulto, mas mente de criança irresponsável, bagunceira que nunca apanhou por causa de suas traquinagens, isso dá para se notar muito claramente na longa e interessante entrevista que ele [Green Morton] deu para a Revista Isto É, veja a entrevista completa nesse link: [Clique Aqui], entrevista da Rede Globo sobre ele, onde se questiona exatamente essa atitude irresponsável [Clique Aqui].


Thomaz Green Morton Responsabilidade ZERO diante do mundo e dos outros paranormais


O James Randi e sua equipe deve ter estudado o caso, ajudados pelo Pseudocético e sacana, Padre Quevedo, e entenderam que atacá-lo seria fácil.


Se ele ganhasse o Desafio Paranormal, seria imediatamente alçado como super estrela no mundo todo, e isso Green Morton não quer.


Thomaz Green Morton para a IstoÉ:


- “não gosto da minha imagem na tevê. Pareço um Thomaz poderoso, espécie de milagre, messias. Gosto do Tumaiz, com cigarrinho de paia, bem simples...” - depois - “Olha, já quis ser como o super-homem, já fui um showman. Mas quero acabar com a imagem de poderoso, superbruxo. Quero ser o Rá-migo para sempre” -


O que faz então James Randi diante disso? Vem ao Brasil para peitá-lo com todo o estardalhaço. Uma vez peitado Morton se acovarda e foge vergonhosamente, Randi então usa o episódio para declarar aos 4 cantos da Terra que os paranormais não existem, nunca existiram, todos não passam de charlatões usando truques de mágica.


Entrevista de James Randi na Revista Super Interessante, onde ele cita Morton [Clique Aqui]


Porém se o episodio Thomaz Green Morton prova algo, é apenas referente a este individuo, os outros paranormais não tem nada a ver com o caso.


Randi nunca ousou peitar os diversos paranormais Russos, como esses apresentados nesse documentário: [Clique Aqui].


Também nunca ouvi falar que ele tenha peitado o Dr. Eric Pearl que faz curas milagrosas há décadas nos EUA. [sobre Eric Pearl Clique Aqui].


James Randi também foge de John Chang, um super paranormal da Indonésia que faz efeitos físicos extraordinários [Clique Aqui].


O homem do Gelo Wim Hof e o ex-agente da CIA David A. Morehouse estão ai na mídia, e o “caçador de charlatões” nunca ousou enfrentá-los... [Clique Aqui]


Edelarzil Munhoz Cardoso, uma Super Paranormal Brasileira que Materializa e Teletransporta objetos há mais de 60 anos também não foi peitada pelo “Incrível Randi” [Clique Aqui]


Outros exemplos de Paranormais Autênticos, que Randi nunca ousou enfrentar:


- John Edward, médium famoso dos EUA [Clique Aqui]


- Jiang Feng, paranormal potente da China [Clique Aqui]


- Raj Mohan Nair, paranormal da Índia [Clique Aqui]


- David Verdesi, super paranormal Italiano [Clique Aqui]


- Dennis Rogers, homem baixo e sem músculos, aclamado como o homem mais forte do mundo [Clique Aqui]